Educação e Tecnologia

Vivemos no tempo dos algoritmos… E, agora?

O que significa viver no tempo dos algoritmos?

Significa que atualmente toda forma de aprendizagem no século XXI está diretamente relacionada com a tecnologia… aquela que por muitas vezes facilita as nossas vidas. Todas as crianças e jovens possuem ou possuirão um celular ou um tablet, uma tecnologia que ao princípio é chamativa e atraente, porém, a verdade é que toda a capacidade tecnológica se faz invisível, e, é um mito dizer que por terem nascido com a tecnologia as crianças e os jovens sabem usa-las, é preciso ensiná-los, pois essa realidade esta a transformar a própria forma de trabalho.

Apesar de atual e presente em nossas vidas esse é um tema bem polêmico, pois a inserção de uma tecnologia educativa não exige somente uma postura nova dos educadores, mas também um alto investimento em equipamentos que sejam eficazes. O fato é que precisamos encontrar um equilíbrio para que dentro da realidade vivenciada por cada instituição de ensino aprendamos a utilizar os recursos tecnológicos a favor do desenvolvimento humano, sem que esqueçamos que como diz Kensi (2012, p.22)¹ “[…] a expressão ‘tecnologia’ diz respeito a muitas outras coisas além das máquinas. O conceito de tecnologia engloba a totalidade de coisas que a engenhosidade do cérebro humano conseguiu criar em todas as épocas, suas formas de uso, suas aplicações”. Assim sendo, podemos dizer que o conceito de tecnologia se refere a tudo que é construído pelo homem a partir da utilização de diversos recursos naturais, tornando-se um meio pelo qual se realizam atividades com o objetivo de criar ferramentas instrumentais e simbólicas, para transpor barreiras impostas pela natureza, estabelecer vantagens, diferenciar-se dos demais seres que são irracionais. O que nos leva a concluir que a linguagem, a escrita, os números, o pensamento, podem e devem serem considerados tecnologia.

——————————————————————————————————————-

¹ KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: Um novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas: Papirus, 2012. p. 15-25.

Curiosidade…

Deixe o seu comentario

× Como posso ajudar?
%d bloggers like this: